O que a mulher que amamenta NÃO PODE comer

Iniciando esse novo projeto, onde eu, Monica Assunção, nutricionista materno/infantil,  estarei contribuindo com informações relativas ao universo materno infantil para a Revista Due, faço meu 1º texto sobre forma de resposta a uma das perguntas mais feitas pelas mães que estão amamentando.

Você sabe que pergunta é essa? É a clássica: o que eu posso e o que não posso comer quando estiver amamentando? 

Então vamos esclarecer essas mamães. A alimentação na lactação, não muda, quando comparada ao que se ingeria na gestação, desde que sua alimentação durante o período gestacional tenha sido saudável e isenta de produtos industrializados e de longa vida de prateleira. E o leite e derivados (queijo, iogurte, requeijão), ovo, feijão eu posso comer? Tudo depende inicialmente se esses alimentos não lhe causam desconforto, pois se algo não lhe “cai” bem após seu consumo, seu bebê pode vir a se sentir desconfortável também. Não por que algo da comida passou para ele, ainda não se tem noção da velocidade nem tão pouco se tudo chega ao leite materno proveniente da alimentação, mas o desconforto referido pelo recém nascido pode ser uma resposta do seu mal estar gastrointestinal, já que você  está sentindo dor/desconforto.

Os alimentos citados anteriormente, só devem ser retirados se a mãe se sente mal ou percebe que o bebê também fica desconfortável quando ela ingere os mesmos. Para algumas mães o leite e os derivados lácteos são bem indigestos, então neste caso é melhor evitar.

Lembrando que a quantidade do que se come também é importante. Um simples chocolate, em sua versão mais rica em cacau (amargo ou meio amargo), se consumido com moderação pode proporcionar uma ótima sensação de bem estar para a mãe. Contudo é preciso haver equilíbrio na quantidade. Um tabletinho de 5 g (porção individual) que é vendido em lojas de Produtos Naturais, pode fazer um bem imenso para aquela mamãe que precisa do conforto que só o chocolate pode oferecer.

Ao menor sinal de desconforto, retire o item suspeito da dieta e tente identificar se de fato a queixa do seu bebê se relaciona a este ou aquele alimento. E quanto a você mamãe, procure fazer a sua alimentação a mais colorida e diversificada possível. Evitando restrições desnecessárias, assim como o consumo excessivo chás e de alimentos de baixa caloria. Você se encontra em um período da vida, onde as suas necessidades calóricas são maiores do que a da gestação. Portanto, restrição alimentar não combina com livre demanda na amamentação.

Espero que tenham gostado. Até o próximo post.

Para sugestões de pauta e dúvidas a esclarecer com a nutri, envie seu comentário ou e-mail.

nutricionista-monica-assunçao
Monica Assunção – Nutricionista materno/infantil
Mais posts por Monica Assunção

4ª Semana da Inclusão: programação para integrar pessoas com deficiência

Como aumentar a participação de pessoas com deficiência na sociedade? Há quatro...
Ler Mais