Peru: O charme de Lima

Comecei a falar da minha viagem ao Peru nesse post, quando contei sobre o Lago Titicaca, nossa primeira parada. Depois falei aqui sobre Cusco e o Valle Sagrado dos Incas. Falei aqui sobre Machu Picchu e agora a parada final da nossa viagem: Lima.

Como foi minha viagem?

Dia 01 – Avião Brasil – Lima – Cusco + Ônibus para Puno (😓Ufa!)
Dia 02 – Lago Titicaca (ilha de Uros e Taquile)
Dia 03 – Puno – Cusco pela Rota do Sol
Dia 04 – Valle Sagrado – parte 01
Dia 05 – Conhecendo Cusco
Dia 06 – Valle Sagrado – parte 02
Dia 07 – Trem para Águas Calientes
Dia 08 – Machu Picchu💚, a estrela da viagem
Dia 09 – Último dia em Cusco
Dia 10 – Lima
Dia 11 – Lima
Dia 12 – Volta para o Brasil

O charme de Lima

A capital do Peru é como todo o país: charmosa, calorosa e hospitaleira. A cidade acaba ficando de lado, sendo tratada apenas como passagem para o Machu Picchu. Mas Lima tem muito a oferecer: desde as pracinhas espalhadas pela cidade até o centro carregado de história, a cidade vai te surpreender.

Localizada no litoral Peruano (adeus, mal da atitude), a primeira impressão é meio caótica, principalmente por conta do trânsito. Mas nada que não se corrija com uma caminhada pelos bairros da cidade. A primeira parada é no bairro Miraflores, o lugar mais recomendado para se hospedar em Lima. Miraflores é bem moderna e arborizada, é lá que fica a linda Plaza Del Amor e o shopping Larcomar, que fica num barranco com vista para o Oceano Pacífico. Vale a pena caminhar pela beira-mar quando o clima estiver colaborando.

O bairro boêmio de Barranco é imperdível. Fomos de bicicleta desde Miraflores, o hostel disponibilizava as magrelas para os hóspedes, e o trajeto é bem tranquilo com ciclovia em quase todo caminho. Em Barranco vale visitar o MATE – Museu Mario Testino, e caminhar pelas ruas e (fofas) praças pelo caminho. É lá também que fica a Puente de los Suspiros: reza a lenda que se você fizer um pedido e atravessar a ponte sem respirar, ele vira realidade. Mas Barranco é famoso pelo seu fim de tarde/noite, com muitas opções de bares e restaurantes.

O Centro Histórico é uma das principais atrações da capital e minha sugestão é: faça o passeio com a Free Walking Tour. Eles tem um ponto de encontro em Miraflores e o guia segue de lá para o Centro Histórico com o BRT, chegando lá o circuito é tranquilo e feito todo a pé e terminamos o passeio tomando Pisco no mercado. Mas para quem quiser fazer o passeio sem guia, esse post do Cup of Things é muito legal e explica tudo que você precisa saber.

Alguns pontos turísticos ficaram de fora da viagem: Preferimos não visitar os sítios arqueológicos de lá porque achamos já ter visto os melhores em Cusco e não conseguimos conhecer o Circuito das Águas, no Parque de La Reserva. É uma atração beeem turística e muita gente não gosta, mas mesmo assim eu queria conhecer, porém não conseguimos encaixar no roteiro, fica para a próxima viagem.

Bom, se tudo que eu falei ainda não conseguiu te convencer, Lima vai te conquistar pelo estômago. A capital gastronômica da América é repleta de restaurantes deliciosos e os preços são muito amigos (como em Cusco). Desde os mais famosos (como o Pescados Capitales, o Astrid y Gastón, Rosa Nautica, Tanta…) até as opções mais anônimas: come-se muito bem na capital Peruana. O que não faltam são opções.

O que é preciso saber?

Há voos diários para Lima saíndo do Brasil. O aeroporto fica um pouco distante de Miraflores e o trajeto de taxi leva entre 40 e 60 minutos (no mínimo). Não recomendo alugar carro, o trânsito é muito caótico e dá para se virar tranquilamente de táxi ou a pé.

A temperatura é mais amena que em Cusco, esfriando um pouco mais a noite. Dificilmente chove, porém a cidade está sempre com o clima meio nublado. Miraflores é o lugar mais procurado para hospedagem, seguido de San Isidro, coração financeiro de Lima. Nós ficamos hospedados no The House Project, muito bem localizado (pertinho do parque Kennedy) e com aluguel de bike sem custo para o hóspedes.

Lingua falada: Espanhol / Quéchua;
Transporte: Para se locomover, a andar é uma boa opção para os mais dispostos, mas os preços de táxi são bons (e dá para usar o EasyTaxi). No Peru a maioria dos taxis não usa taxímetro, então vale negociar bem com os motoristas antes de iniciar a corrida (O pessoal do Sundaycooks tem um guia ótimo). Lima também oferece muitos serviços de aluguel de bicicleta, e até opções de bike tour.
Moeda utilizada: Novo sol (aproximadamente 1 Real).

Mais posts por Paula Teixeira

Marcas de beleza na luta contra a Aids

Hoje, dia 01/12, é o dia internacional da luta contra a Aids, e...
Ler Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *