Disfunção Erétil. Homens, esse problema tem solução. Ô, se tem !!!

Foto: Charles Deluvio - Unsplash

Um dos maiores prazeres terrenos masculinos é ter e “segurar” uma boa, firme e honrosa ereção! Exatamente assim… Ou simples assim. Mas o assunto não é comumente falado nas reuniões de família, sociais ou de trabalho. Muito pelo contrário, apesar de estarmos em pleno século XXI, o assunto Disfunção Erétil (D.E.) ainda é velado, e, para o homem assumir que precisa de ajuda, infelizmente, é um pouco difícil.  

Como Sexóloga e Terapeuta Sexual, posso afirmar que o prognóstico, ou o sucesso clínico (psicológico e/ou orgânico), é enorme. Então, MENINOS, não precisam ter medo ou vergonha, a hora é agora, pois 43% dos homens após 45 anos apresentarão a famosa Disfunção Erétil, devido a muitos fatores modernos. Vamos à cientificidade para esclarecer, ok?

Antigamente conhecido como Impotência Sexual, esse termo entrou em desuso por ser pejorativo, e atualmente é denominado Disfunção Erétil. Ela é definida como a impossibilidade de atingir ou manter uma ereção suficiente para ter uma relação sexual, e a maior probabilidade é que ela atinja homens a partir dos 45 anos, mas, atualmente, esse quadro vem mudando. Veremos adiante o porquê.

Existem quatro tipos de Disfunção Erétil: a Primária, quando o homem nunca for capaz de conseguir uma ereção, representando apenas 10% dos casos; a Secundária, quando o homem obteve ereções no passado, porém não pode tê-las atualmente; a Situacional, quando só consegue ereção em determinas situações ou com determinadas pessoas; e a Parcial, quando se produz certa ereção, porém não suficiente para realização do ato sexual.

As causas da D. E. podem ser psicológicas ou orgânicas. Frequentemente, elas têm início devido a fatores físicos, embora também haja situações nas quais a causa advém de motivos psicológicos.

Psicológica: os fatores psicológicos não são a principal causa da Disfunção Erétil, contradizendo a crença popular; estes assinam apenas 10% dos casos no total. A D.E. pode ser causada por ansiedade, nervosismo em relação ao desempenho ou medo de falhar durante a relação sexual. Tais fatores produzem no corpo uma descarga de adrenalina, causando diminuição do fluxo sanguíneo na região do pênis, provocando, assim, dificuldade na ereção. Outros fatores psicológicos incluem o estresse, o sentimento de culpa, a falta de desejo, a depressão, entre outros. Atualmente, esses últimos fatores atingem 43% dos homens, enquanto acredita-se que a causa orgânica seja responsável por 90% dos casos. Nos casos de D.E., fazer psicoterapia ou terapia sexual só fará bem para o homem.

Agora, organicamente falando, essa disfunção está diretamente relacionada à má circulação sanguínea ou insuficiência vascular (o pênis precisa receber um fluxo de sangue adequado para que o homem possa ter ereção). Tudo isso mexe com a autoestima e a autoconfiança do homem, além de baixar sua libido (desejo sexual). Alguns deixam de cuidar do corpo, entram em depressão e se tornam negativos e pessimistas.

Gostaria de iluminar o caminho desse homem que está em qualquer fase da vida. Apenas SE AME E SE CUIDE, VOCÊ NASCEU PARA SER FELIZ!!! Isso é um direito. Comece já a transformar a sua rotina, em casa, no trabalho e com os amigos. Livre-se da ociosidade, compre roupas novas, vá malhar, olhe o por do sol e brinde com água de coco a bela orla que a cidade de Maceió tem. Encharque-se de sais minerais, proteínas. E se energize para o amanhã profissional e sexual… E, lembre-se, o maior adversário está dentro de nós mesmos!!! Livre-se do medo. A verdadeira relevância não está de fora para dentro, mas de dentro para fora.

Se esses homens não escolherem esse caminho de luz, os fatores associados à D. E. orgânica irão se instalar, e causarão problemas como diabetes, hipertensão, colesterol elevado, risco cardiovascular e depressão. Os fármacos, o álcool, o fumo e as drogas acentuam o problema, deixando o desafio ainda maior. Tudo muda quando a gente muda!

IMPORTANTE: Um dos maiores estudos sobre a Disfunção Erétil realizados até o momento é o ‘‘The Massachusetts Male Aging Study (MMAS)’’. Cerca de 52% dos homens com idade entre 40 e 70 anos apresentam algum grau de disfunção erétil.

– Pelo menos um em cada cinco homens não conseguem atingir uma ereção plena;

– A maior parte dos casos é por causas orgânicas do homem;

– A relação entre idade e D.E é enorme, ou seja, aumenta em 39% após 40 anos e 67% após 70 anos.

Uma avaliação médica apropriada é importante. Exames físicos complementam o diagnóstico com o urologista, que incluirá a história clínica e sexual minuciosa do homem com exames específicos complementares. Todos esses procedimentos são indolores e permitirão ao médico diagnosticar a causa e a grandeza do problema para oferecer o tratamento mais eficiente e eficaz. A parceira pode e deve ajudar nesse processo. O bem estar será também do casal, e tudo voltará a ser “melhor” do que antes, acredite.

Desde já, é imprescindível manter o estilo de vida saudável através de boa alimentação e de exercícios, que possibilitarão uma vida longa, saudável e sexualmente gostosa. Jamais se automedique!

Os dados estatísticos mostram que o homem que tem estilo de vida ativa tem uma probabilidade consideravelmente menor de ter D.E.

Não reestruturamos o nosso estilo de vida da noite para o dia, por isso, é conveniente fazer mudanças graduais para sermos capazes de mantê-las. Estejamos sempre firmes e fortes como a linda, maravilhosa e tão aguardada nova ereção! Que assim seja.

A hora é agora. E você está esperando o que para falar sobre o assunto com seu médico? É urgente ser feliz, menino!

Afetuoso abraço da Sexóloga Zoelma Lima.

falecomzoelmalima@gmail.com

Escrito por
Mais posts por Zoelma Lima

Uma peça, vários looks: Saia lápis

Nosso primeiro post da série Uma peça, vários looks mostrou varias maneiras...
Ler Mais