Japonesa Marie Kondo, a fada da organização

Como você lida com a organização da sua casa, armários, gavetas, carro e até mesmo sua bolsa de mão? Organização é um projeto que, muitas vezes, fica “guardado” em nossas gavetas durante meses, até anos, afinal arrumação toma tempo, energia e nem sempre é divertido.

Se você está disposto a mudar a realidade de seus espaços e pertences, precisa conhecer a serena e eficiente japonesa Marie Kondo. Criadora do método KonMari, a especialista em organização pessoal se tornou mundialmente conhecida após lançar o livro A Mágica da arrumação. Agora, ainda mais popular, Marie estrela o seriado da Netflix, Ordem na casa com Marie Kondo.

Com ela se aprende sobre a arte de organizar e os benefícios de ter uma casa limpa e arrumada. Seu método de ordenação, uma mistura de filosofia oriental, coaching inspiracional e feng shui, gira em torno do mantra “fique só com o que te faz feliz”.

Apesar de ser empregado para arrumar a casa, o método pode ser utilizado em todos os setores de nossas vidas, pois consiste em organizar as coisas de por categorias, em vez de deixá-las como fazemos normalmente. São cinco categorias ordenadas:

  1. Roupas;
  2. Livros;
  3. Papel;
  4. Komono (cozinha, banheiro, garagem, itens variados);
  5. Objetos com valor sentimental.

É claro que, como tudo na vida, o método divide opiniões. Marie virou meme nas redes por algumas de suas declarações não serem compreendidas. Vale ressaltar que a base do trabalho de Marie vem de sua cultura e religião, além de uma criação com pouco espaço.

“As casas no Japão são minúsculas!”, diz Kondo. “Cresci numa casa com cinco pessoas. A gente desdobrava futons e dormia um do lado do outro, num espaço de cerca de 13 m x 13 m. Não há muito espaço para guardar coisas, então tudo tem de ser pequeno.” Os japoneses têm o desafio de transformar espaços pequenos em lugares confortáveis, diz ela. “Somos obcecados pelos detalhes”, diz ela ao HuffPost.

Além desse contexto do espaço, tradições xintoístas direcionam esse processo. Portanto, pessoas criadas em diferentes culturas talvez não entendam e até ridicularizem o método.

A verdade é que Marie Kondo está ajudando muitas famílias e pessoas a se encontrarem em meio a suas bagunças particulares. Em volta da pergunta “Isto me faz feliz?”, ela ensina as pessoas a agradecerem antes de se desfazer de um objeto. Ter gratidão por tudo que temos, encerrar o ciclo de peças que já não são usadas ou trazem alegrias e respeitar o significado de alguns itens que tem valor sentimental são alguns de seus ensinamentos.

Para conhecer mais e melhor o trabalho da japonesa, assista a temporada de 8 episódios no Netflix, leia seus livros ou acompanhe seus perfis no Facebook e seu canal do Youtube.

Se você já conhecia ou praticou o método Marie Kondo, conta pra gente como foi. Ficaremos felizes com seu comentário.

Dicas básicas do método da Marie:

  • Ao eliminar o excesso de informação visual que não desperta alegria, você pode tornar seu espaço muito mais tranquilo e confortável.
  • Não largue todas as coisas que você não usa mais na casa dos seus pais.
  • Não compre recipientes de armazenamento antes de arrumar/descobrir o que você realmente precisa armazenar.
  • Guardar as coisas cria a ilusão de que o problema da desordem foi resolvido. Deixe-as a vista, não entocadas em caixas.
  • Além disso: em vez de comprar um monte de caixas de armazenamento, use as caixas que você já tem.
  • Tire tudo da sua bolsa/mochila no final de cada dia.
  • Pare de guardar suas amostras de produtos de beleza.
  • Mantenha apenas os livros que vão fazer você feliz só por vê-los nas prateleiras, aqueles que você realmente ama.
  • A melhor maneira de guardar bolsas é uma dentro da outra.
  • Não compre produtos especiais para organização. A ideia é diminuir a quantidade de itens que possui, e não comprar mais.
  • O objetivo de um presente se cumpre na hora em que o recebemos. Por isso, não tenha medo de se desfazer de lembranças que recebeu e nunca usou.
  • Você guarda um monte de fios e cabos que não sabe de onde são? Jogue-os no lixo. Só mantenha aqueles cuja função você possa identificar.
  • Qual foi a última vez que você abriu um manual de instruções? Eles não servem para nada.
  • Esvazie o conteúdo daquelas caixas onde guarda objetos aleatórios, como botões soltos, prendedores de cabelo, moedas, canetas e bloquinhos promocionais.
  • Organize as roupas na vertical. O resultado final é algo como uma biblioteca de roupas.
  • Faça tudo o que você precisa fazer hoje, por mais complicado que pareça é necessário.
  • É preciso separar um momento antes, durante ou depois de começar sua faxina para arrumar SOMENTE a papelada.
  • Separe um momento solitário do dia, aproveite para relaxar com alguma música instrumental ou com o próprio silêncio.
  • E lembre-se de que arrumar é, na verdade, escolher o que manter, não o que se livrar.

“Confesso que, às vezes, ainda me sinto insegura e inadequada. Tenho, contudo, confiança no meu ambiente. Quando se trata dos meus pertences, das roupas que visto e da casa em que moro, sou confiante e profundamente grata. Hoje estou rodeada apenas por aquilo que realmente amo — sejam coisas ou pessoas —, pois aprendi a selecionar somente o que é especial. Meu objetivo é fazer com que pessoas como eu compreendam quanta força podem receber do ambiente em que vivem. É por isso que dedico meu tempo ensinando-as a organizar suas casas.”

Escrito por
Mais posts por Valná Dantas

Como presentear nesse natal sem gastar muito

Presentes baratos também podem ser significativos
Ler Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *