Moda e impressão profissional

Você pensa no que veste? A maneira que nos vestimos consiste em um reflexo de nossos comportamentos para as pessoas com as quais convivemos.

O vestir ocupa um grande espaço no contexto das impressões que causamos. Pensar em seu vestuário é uma forma de organização pessoal. Sua composição de cores, peças e acessórios são, consciente ou inconscientemente, analisados pelas pessoas de seu convívio.

A moda a que me refiro engloba todos os impactos que o vestuário causa – do micro ao macro, ou seja, no indivíduo, na sociedade e no planeta. Hoje em dia a moda está presente na vida de quase todos os indivíduos.

Quero ressaltar que se eu estivesse escrevendo este texto no século passado, estaria usando a palavra vestuário ou indumentária, já que o termo moda carregava, à época, uma ideia de luxo e aristocracia. Com o advento da globalização, e consequentemente o crescimento do capitalismo, todos os grupos e classes sociais passaram a consumir e a criar moda.

Atualmente o uso da palavra moda atesta um universo de estudos sobre os impactos ambientais, sociais, culturais e psicológicos provocados pelo vestuário.

Focando num âmbito profissional, o seu modo de vestir e consumir roupas pode trazer benefícios como: autoestima no trabalho, senso de organização e bem-estar.

A moda está sempre interligada a autoestima. Podemos observar, seja em nosso cotidiano nas pessoas ao nosso redor ou em personagens fictícios, a mudança no estilo de vestir, conforme as diferentes fases da vida. Esta observação empírica foi recentemente comprovada cientificamente. Em 2012, o cientista e professor Adam D. Galinsky liderou uma série de experiências que consistiu em estudar os efeitos psicológicos causados pela vestimenta.

Em um dos experimentos, 74 estudantes foram escolhidos para decifrar um jogo dos 7 erros. Alguns deles receberam um jaleco e lhes foi dito se tratar de um jaleco médico, enquanto outros receberam exatamente o mesmo jaleco, porem lhes foi dito se tratar de um jaleco de pintor e, surpreendentemente ou não, os estudantes que utilizaram o jaleco medico se saíram bem melhor que os outros, apesar de serem do mesmo nível intelectual.

Este fenômeno foi chamado de cognição indumentária. Neste experimento, Galinsky traz à tona o poder que as roupas têm para alterar a nossa capacidade cognitiva, podendo aumentar, em consequência, a nossa autoconfiança. Pensar no que vestir levando em consideração seus gostos e estilos faz parte de uma rotina saudável. Programar seu guarda-roupa, definir seu padrão de roupas, descobrir quais peças lhe causam uma sensação de bem-estar, tudo isto pode ser feito exclusivamente por você para melhorar seu cotidiano ou, no caso de uma ascensão profissional, com a ajuda de um consultor de moda e imagem pessoal.

Tenha certeza que o processo, aparentemente simples, de organizar seu guarda-roupa traz a organização para outras áreas de sua vida e o que você veste demonstra esta organização, não só, mas principalmente no ambiente de trabalho. Ao separar um tempo prévio para pensar em seus looks, você estará exercitando suas capacidades cognitivas de foco e criatividade, ambos fundamentais no âmbito de trabalho. Consequentemente, ao utilizar tais composições você estará influenciando positivamente a percepção dos outros sobre você.

Em contrapartida, não significa que para causar uma boa impressão, você deve seguir estritamente as tendências de moda. Nem todas as pessoas sentem necessidade de criar combinações diferentes para se vestir no dia a dia e para tais existe uma alternativa de, ainda assim, criar uma boa impressão de si. Embora o ato de escolher o que vestir exercite a nossa cognição, sabemos que há outras formas de desenvolvimento cognitivo. Algumas pessoas preferem estar livres desse processo de escolha e desenvolvem uma espécie de uniforme de trabalho, como são os casos de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, com seu jeans e camiseta e Steve Jobs, criador da Apple, com sua gola alta preta. Criando um simples conjunto que represente a impressão que você quer passar no trabalho já não terá mais que se preocupar com combinação de cores e tendências constantemente, além de facilitar seu processo de compras.

Perceba que a moda está sempre presente em nossas vidas, de uma forma ou de outra, pois todos nós vestimos para conviver em sociedade. Nosso modo de vestir sempre sempre influenciou, influencia e provavelmente seguirá influenciando tanto a percepção do outro quanto à percepção que temos de nós mesmos. Desta forma, compreendendo isso, podemos usar esta interação ao nosso favor.

Tags

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.